Prisão de megatraficante chama atenção do mundo

Colombiano Juan Carlos Ramirez-Abadia é encontrado em São Paulo pela Polícia Federal

07 de agosto de 2007 | 12h46

Jornais colombianos repercutem nesta terça-feira, 7, em sua versão online, a prisão de um dos maiores traficantes de drogas do país, Juan Carlos Ramirez-Abadia, em Aldeia da Serra, na Grande São Paulo.  Veja também: Abadia está no Brasil há 3 anos Traficante colombiano é preso em SP Operação contra tráfico prende 13 Traficante fez plásticas para mudar rosto Outros criminosos já se refugiaram no Brasil   "Autoridades brasileiras capturam Juan Carlos Ramírez Abadía, o 'Chupeta'" é a manchete do El Tiempo. No texto, o jornal diz que Ramirez-Abadia foi preso em uma operação conjunta da Polícia Federal do Brasil e da Agência Americana Antidrogas (DEA), segundo afirmações do general Oscar Naranjo.  O El Colombiano traz a manchete "Caiu no Brasil o narcotraficante Juan Carlos Ramírez Abadia, o 'Chupeta'". O jornal publicou a afirmação de um porta-voz da Polícia Federal brasileira, responsável pela captura, dizendo que Abadia era "o traficante mais procurado em todo o mundo pela DEA, que oferecia US$ 5 milhões pelas informações de seu paradeiro".  O jornal argentino El País diz que foi encontrado o "narcotraficante mais procurado do mundo", responsável pelo cartel mais poderoso da Colômbia. O jornal destaca que a captura era o "objetivo número um dos Estados Unidos". O americano New York Times acrescenta que Abadia foi preso em um "condomínio de luxo nas imediações da maior cidade da América Latina" e que o traficante foi encontrado depois de dois anos de muita investigação. "A polícia (Polícia Federal brasileira) também prendeu mais 16 pessoas nesta terça-feira, após fazer uma busca em 28 localidades em seis estados brasileiros", publicou o britânico The Guardian, citando a Operação Farrapos, da Polícia federal, que tem o objetivo de desarticular uma organização internacional dedicada ao tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.  A rede de televisão CNN completa que Abadia estava sendo perseguido pelos EUA desde 2000 pelos EUA e que até seu pais tinham entrado na "lista" de "mais procurados". Abadia traficou "enorme quantidade" de cocaína para os EUA e para a Europa. O caso também foi citado pelos jornais americanos Washington Post e Miami Herald e pelo britânico The Independent, por meio de textos de agências internacionais, além de ocupar lugar de destaque em diversas publicações de países latino-americanos. 

Tudo o que sabemos sobre:
Juan Carlos Ramirez-Abadiatraficante

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.