Príncipe ajuda a carregar doações para as vítimas

João de Orleans e Bragança está desde sexta-feira levando doações às cidades atingidas

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2011 | 00h00

Um príncipe também ajuda os atingidos pelos deslizamentos na região serrana. Trata-se de dom João de Orleans e Bragança, de 55 anos, que, apesar de não morar por ali e nem ter perdido nenhum parente, está desde sexta-feira levando doações às cidades atingidas e descarregando mantimentos de caminhões do Exército. "Você vê as pessoas fazendo fila para comida depois de terem perdido tudo. Por isso decidi ajudar."

Outra razão para ele se dirigir para lá é que as três cidades mais atingidas têm ligação direta com a história de sua família. A primeira a ser visitada pelo príncipe foi Teresópolis - cujo nome é uma homenagem à sua triavó, a imperatriz Teresa Cristina, mulher de d. Pedro II, que, por sua vez, inspirou o nome de Petrópolis. E, na segunda-feira, ele levou um jipe cheio de doações para Nova Friburgo, uma cidade criada pelo seu pentavô, d. João VI, quando o Brasil ainda era um reino vinculado a Portugal. "Aquilo tudo entristece muito, mas tem o lado bonito de ver a solidariedade das pessoas", conta.

Apesar de a monarquia ter acabado há mais de 120 anos, uma certa aura real permanece nos descendentes da dinastia dos Braganças. E, segundo o relato do príncipe João, não são poucos os que estranham ver um integrante da família real carregando caixas para lá e para cá, como se fosse um simples plebeu. "Quando estava na fila para carregar as doações na igreja, o pastor se assustou: "Mas, d. João, você está aqui também?" E respondi: "Claro, sou só mais um." E fui lá pegar as caixas."

 

Veja também:

linkNúmero de vítimas por chuvas na Região Serrana do Rio chega a 710

linkClubes e atletas se mobilizam para ajudar vítimas das chuvas

blog Gabeira: Faltaram projetos e decisão política

mais imagensGALERIA - Grandes imagens da tragédia

mais imagensGALERIA 2 - Imagens de destruição e desespero

Mais conteúdo sobre:
Riochuvascidades

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.