Primo de goleiro volta atrás, nega crimes e afirma que polícia o coagiu

CASO BRUNO

, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2010 | 00h00

O primo adolescente do goleiro Bruno Fernandes negou ontem, em audiência no Fórum de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, todos os depoimentos prestados sobre o desaparecimento da ex-amante do jogador, Eliza Samudio, de 25 anos. O jovem de 17, internado por período indeterminado em uma instituição para infratores por envolvimento no sequestro, cárcere privado e assassinato da modelo, disse ter sido coagido pela polícia. Ele negou ter atingido Eliza com coronhadas, disse que Bruno não estava no sítio onde ela teria sido mantida em cárcere privado e afirmou não conhecer o ex-policial Marcos dos Santos, o Bola. O garoto havia descrito o assassinato em detalhes, mas agora disse que não testemunhou o crime. Ainda pediu perdão a Bola pela confusão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.