Primeira rede de ciclovias não saiu do papel

O primeiro plano para construção de ciclovias em São Paulo foi apresentado em 1981 pela Prefeitura e previa 174 km de faixas exclusivas para bicicletas. O objetivo era interligar as cinco regiões da cidade por meio de 14 trechos cicloviários, previstos para serem construídos ao mesmo tempo em que dezenas de córregos às margens de avenidas movimentadas eram canalizados. Passados mais de 30 anos, a capital tem 57,7 km de ciclovias e ciclofaixas permanentes.

O Estado de S.Paulo

31 Julho 2012 | 03h02

1. Por que é importante ter ciclovias na cidade?

As ciclovias e ciclofaixas são espaços reservados exclusivamente para o tráfego de bicicletas. Especialistas os consideram essenciais em avenidas movimentadas, onde o tráfego compartilhado pode ser perigoso. Uma cidade como Paris, por exemplo, tem 440 km de ciclovias e ciclofaixas, sem contar as centenas de quilômetros de vias compartilhadas entre carros e bicicletas onde a velocidade máxima é de 30 km/h.

2. Por que foi feito o primeiro plano de ciclovias para São Paulo?

No começo dos anos 1980, logo após o início da canalização de vários córregos que cortavam avenidas, um estudo da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) apontou que os novos canteiros centrais dessas vias deveriam ser aproveitados como ciclovias. Era o caso, por exemplo, da Avenida Brás Leme, na zona norte.

3. Era viável a execução do projeto?

Ele foi considerado de baixo custo e era compatível com a nova geografia das vias que tiveram cursos d’água aterrados. Mas, no espaço adicional que surgiu após as canalizações de córregos das avenidas, foram construídas faixas adicionais para carros, o que torna hoje mais caro e difícil a implementação de faixas exclusivas de bicicletas.

4. Algum trecho desse plano foi construído?

As ciclovias nos canteiros centrais das Avenidas Sumaré, Pedroso de Morais, Inajar de Sousa e Brigadeiro Faria Lima foram construídas conforme já previa o projeto da Prefeitura de 1981. Outros trechos do projeto constam no atual plano de ciclovias da gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD).

5. O que diz a Prefeitura hoje?

Ela afirma que a política dos anos 1980, voltada à construção de bicicletas, estimulava a segregação do espaço público. Por isso, decidiu investir em projetos de compartilhamento de espaço, como as ciclorrotas – são 58 km de ruas sinalizadas com placas de bicicleta inaugurados nesta gestão. Além disso, há os 33,5 Km da Ciclofaixa de Lazer, que só funciona nos domingos e feriados.

A QUEM RECORRER

- Prefeitura de São Paulo

- Ouvidoria Geral do Município. Tel.(11) 0800-175717/ (11) 3334-7132

- Ministério Público. Tel. (11) 3119-9000/e-mail: ouvidoria@mp.sp.gov.br

Mais conteúdo sobre:
SP na Gaveta

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.