Primeira leva de médicos cubanos chega a Recife em clima de festa

Vinte estudantes receberam trinta cubanos trazidos pelo programa Mais Médicos cantando Abre Alas, de Chiquinha Gonzaga

Angela Lacerda , O Estado de S. Paulo

24 de agosto de 2013 | 16h32

RECIFE - Os primeiros 30 médicos cubanos a desembarcarem na tarde de hoje no Aeroporto de Guararapes, no Recife, foram recebidos com faixas e gritos de boas vindas por 20 integrantes da União da Juventude Socialista (UJS) e da União de Estudantes Metropolitanos Secundaristas (Ubes).

Vestidos com jalecos e carregando as bandeiras do Brasil e de Cuba, durante a entrevista, eles disseram felizes com a recepção e afirmaram que querem colaborar pelo benefício da população mais pobre. Distribuíram sorrisos no aeroporto e tremularam as bandeiras de Brasil e de Cuba. “A motivação de nossa vinda é a solidariedade. Somos médicos por vocação. Não nos interessa um salário, fazemos por amor”, afirmou o médico Nelson Rodrigues, em resposta aos questionamentos dos repórteres sobre o baixo salário.

Na chegada, os jovens brasileiros recepcionaram o grupo cantando a música Abre Alas, de Chiquinha Gonzaga, com modificações na letra. “O abre alas que os cubanos vão passar/ É mais saúde para a população/ Sejam bem-vindos e tenham a nossa gratidão.

Faziam parte do grupo cerca de 200 médicos, que vieram em voo fretado da empresa aérea Cubana. Trinta ficaram em Pernambuco e vão se juntar a outros médicos estrangeiros em alojamentos do Exército. Na segunda-feira, começa curso de treinamento de três semanas sobre legislação sanitária e língua portuguesa. Todos têm experiência em trabalhos em outros países, como Haiti, Venezuela, Paquistão, Guatemala e Honduras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.