Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

'Previsão' da semana de moda é de inverno leve

Tecidos como tule, renda, cetim e seda deverão se destacar nas vitrines em 2013

FLÁVIA GUERRA , VALÉRIA FRANÇA, O Estado de S.Paulo

02 de novembro de 2012 | 02h03

Acabou ontem a São Paulo Fashion Week. Na tenda montada pela primeira vez no Parque Villa-Lobos, na zona oeste, 19 grifes apresentaram as tendências que vão dominar as vitrines das lojas no outono-inverno do ano que vem. Entre elas, uma se destacou: tecidos leves, como tule, renda, musseline, cetim e seda, vão estar em alta. A aposta é em um inverno ameno.

A transparência é uma tendência forte. A estilista Gloria Coelho deixou isso bem evidente na passarela, ao deixar à mostra o corpo das tops com vestidos levemente acinturados e tops vaporosos, apresentados sem forro ou combinação, acessórios indispensáveis na vida real.

As calças estão em baixa. As saias e os vestidos dominaram a cena. A top Alessandra Ambrósio abriu o desfile da Colcci, grife jovem e comercial, com um vestido curto de pregas e sem meia-calça. A boa notícia é que não existe comprimento adequado para as saias. Míni, no joelho, mídi ou até os pés. A escolha fica ao gosto da compradora.

A moda está cada vez mais democrática. Ela não dita tendências, mas sugere opções para vários tipos consumidor. Helô Rocha, da marca Têca, por exemplo, fez uma coleção prática, ideal para quem trabalha. Entre as peças propostas, a saia transpassada acima do joelho se destacou. A estilista também apostou em camisas - com corte mais clássico, que havia algumas estações estavam esquecidas. A camisa também apareceu na coleção de Maria Garcia, de cetim de seda, com mangas mais bufantes.

Estampas. Outra surpresa foram as padronagens dos tecidos. Além dos tradicionais preto, cinza e bege, surgiram estampas típicas de verão. Alexandre Herchcovitch montou uma coleção muito feminina e delicada inspirada nas flores. O estilista desenhou saias volumosas e rodadas - dignas de Grace Kelly. Flores foram motivo de estampa também da coleção de Maria Garcia. Já Vitorino Campos apostou em listras coloridas.

A Forum optou por um inverno tropical. E para isso desenvolveu uma coleção com jeitão de praia mesmo. Estampas de coco e de folhas surgiram em túnicas e vestidões que arrastavam no chão de tão longos. Até a palha foi usada como matéria-prima para confecção de uma coleção de carteiras, escarpins e botas.

No único desfile masculino, o de João Pimenta, teve até terno branco na passarela.

Couro. Houve também quem pensou em um inverno mais rigoroso. Ronaldo Fraga e Osklen apresentaram tricôs pesados, feitos para dias bem frios.

Mas o que não poderá faltar mesmo no guarda-roupa do outono-inverno de 2013 é uma peça de couro, material que apareceu em quase todos os desfiles, de formas diferentes. Deu origem a calças, vestidos justos e sensuais e casacos longos.

Em uma das aplicações mais criativas, Reinaldo Lourenço desenvolveu uma espécie de renda - com aplicações de couro sobre tule - e um matelassê de couro, que parece emborrachado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.