Presos traficantes que abasteciam rodoviária em Campinas

Casal usava as duas filhas para não levantar suspeita; polícia apreendeu maconha, cocaína, armas e crack

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

08 de maio de 2008 | 05h06

Um casal responsável por abastecer o comércio de drogas dentro e no entorno do Terminal Rodoviário de Campinas, foi preso, por volta das 23 horas de quarta-feira, 8, por policiais da Força Tática do 08º Batalhão de Policiamento Militar do Interior (BPM/I). Alan Diego da Silva, de 21 anos, e sua esposa, Karina Waiksel Batista, de 27 anos, entregavam a droga para outros traficantes, responsáveis pela venda direta aos usuários. "Eles usavam duas crianças para não levantar suspeita, circulando no terminal como se fosse mais uma família chegando ou saindo da cidade", afirmou o tenente, que não quis ser identificado, responsável pela Força Tática em Campinas. O casal, que ocupava um Celta prata, foi parado pelos policiais na pista sentido bairro-centro da Avenida Lix da Cunha, no Jardim Eulina, a caminho de mais uma entrega no terminal rodoviário de Campinas. No momento em que foram detidos, ao lado de suas filhas, Alan e Karina estavam com 15 trouxinhas de maconha, 20 papelotes de cocaína e 1.090 reais, em dinheiro. Os policiais, já cientes de que a dupla era responsável pelo abastecimento de drogas no terminal, exigiram que os dois acusados os levassem até a casa deles, no Parque Santa Bárbara. No local foram apreendidos também uma pistola calibre 380, duas balanças digitais, um tijolo de maconha de cerca de 1 quilo, 138 papelotes de cocaína prontos para a venda, 58 trouxinhas de maconha, uma caixa de munições calibre 38 e 400 gramas de crack. O casal, que já tem passagens pela polícia e era procurado pela justiça, faz parte de uma grande quadrilha que age do mesmo modo no entorno do terminal rodoviário. Alan e Karina foram encaminhados ao 04º Distrito Policial, no bairro do Taquaral, e indiciados em flagrante.

Tudo o que sabemos sobre:
drogastraficantesCampinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.