ANDRE LESSA/AE.
ANDRE LESSA/AE.

Presos suspeitos de arrastões em ônibus da linha Cumbica-Tatuapé

Dupla sacou arma e recolheu dinheiro e celulares dos passageiros e do motorista; polícia continua a busca por mais dois integrantes da quadrilha

Leonardo Ribeiro, Especial para O Estado

06 de outubro de 2016 | 20h26

SÃO PAULO - Depois do quinto assalto no último mês na linha de ônibus da EMTU que liga o Aeroporto de Guarulhos ao Metrô Tatuapé, policiais prenderam o suspeito de ser o mentor da quadrilha e mais um integrante. Cerca de 40 passageiros foram vítimas do assalto e presenciaram uma troca de tiros. A polícia ainda procura uma mulher e um homem que também podem estar envolvidos nos crimes.

Dois assaltantes entraram no ônibus 257, que vai do Aeroporto de Guarulhos ao Metrô Tatuapé, por volta das 20h desta quarta-feira, 5. Durante o trajeto, um deles sacou uma arma e juntos recolheram dinheiro e celulares do motorista e dos passageiros. Só no último mês este foi o quinto assalto. A diferença entre eles foi o desfecho. 

"Nós não registrávamos roubos como esse desde o ano passado. Como teve o primeiro assalto no dia 9 de setembro e um segundo dois dias depois, nós montamos uma operação com policiais à paisana e uma viatura descaracterizada acompanhando o ônibus no trajeto", disse o delegado da 3ª Delegacia Especializada no Atendimento ao Turista (Deatur), Luiz Alberto Guerra. 

No momento em que o ônibus parou na rodovia Hélio Smidt, nesta quarta-feira, os responsáveis pelo crime desceram. Os policiais na viatura deram ordem de prisão, houve troca de tiros e um dos assaltantes foi preso. Na manhã seguinte, mais um envolvido no assalto foi encontrado e levado para a delegacia. Estima-se que quarenta passageiros estavam no ônibus. 

Em novembro do ano passado, a polícia prendeu uma quadrilha que atuava na mesma linha. "Depois que prendemos acabou. A volta dos roubos este ano foi motivada por uma pessoa, que já confessou a participação nos últimos cinco assaltos", diz o delegado. Procurada, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo não informou o número de assaltos que aconteceram na linha 257.

Em nota, a Empresa Metropolitana de Transporte Urbano de São Paulo (EMTU/SP) disse que eles "tem trabalhado em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública no sentido de preservar a segurança dos usuários no interior de seus veículos. As permissionárias e concessionárias, por exemplo, são orientadas a comunicar qualquer registro desse gênero, o que inclui roubos e assaltos, dentro dos ônibus de sua frota. A EMTU/SP também recomenda aos usuários e às operadoras que registrem Boletins de Ocorrência diante dessas circunstâncias." 

A polícia vai continuar com a operação, pois acredita ainda que há uma mulher e mais um homem envolvido com a quadrilha. O delegado acredita que a população pode voltar à rotina. "O mentor está preso. Agora teremos paz". 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.