Presos são obrigados a se beijar no Recife

Em vídeo colocado na internet, homens são chamados de ''macacos'' enquanto policiais dão risada; governo de Pernambuco abriu sindicância

Monica Bernardes, O Estado de S.Paulo

04 Fevereiro 2011 | 00h00

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco abriu sindicância ontem para apurar se houve participação de policiais na gravação e divulgação de um vídeo, postado no YouTube, onde dois presos são obrigados a se beijar na boca.

As imagens foram postadas em julho, mas o caso só veio à tona agora, após a publicação do caso em um jornal local. Em uma das imagens aparece um homem vestindo a farda do Batalhão de Radiopatrulha e usando um capuz. Os presos são chamados de macacos e obrigados a dizer que se amam, enquanto os policiais dão risada e filmam as cenas. O vídeo teria sido feito em uma delegacia do Recife.

O secretário de Defesa Social, Wilson Damásio, prometeu investigação rigorosa. "Este caso será tratado como investigação criminal. Nosso pessoal vai apurar para que tudo isso seja identificado. O primeiro passo será a identificação dos presos e dos policiais. Então teremos os elementos para verificar o que aconteceu e responsabilizar os envolvidos", afirmou.

O presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Jayme Asfora, enviou ofício para a secretaria solicitando o afastamento imediato dos policiais envolvidos na agressão. O presidente da OAB de Pernambuco, Henrique Mariano, cobrou posição enérgica da Defesa Social. "É um caso público de abuso de autoridade que viola todos os princípios norteadores dos direitos humanos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.