Presos ficam em contêineres no Pará e Estado pode ser denunciado à ONU

As péssimas condições em quatro presídios da Grande Belém constatadas anteontem por representantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tornam o Pará passível de denúncia à Organização das Nações Unidas (ONU) por violação de direitos humanos. No Presídio Estadual Metropolitano Unidade 1, os juízes encontraram presos em contêineres. Um juiz disse que a temperatura no local é igual à de um forno. Os presos reclamaram da demora na solução de processos, superlotação das celas, convivência com ratos e baratas, além da péssima comida. Segundo o conselheiro Walter Nunes, o uso de contêineres como cela no Espírito Santo já havia sido denunciado à ONU e foram desativadas no Estado. Além de construir presídios, Nunes disse que também é preciso adotar políticas que ressocializem os presos, "com oportunidades para uma nova vida" após sair da cadeia. Em Belém, as autoridades do sistema penal prometeram tomar providências para melhorar as condições dos presídios.

, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.