Presos fazem dois agentes reféns em Salvador

Detentos exigem a saída do novo diretor da presídio; familiares são impedidos de sair da penitenciária

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

08 Dezembro 2008 | 03h09

Pelo menos 853 dos 1.442 presos da Penitenciaria Lemos Britto, no bairro de Mata Escura, em Salvador(BA), seguem rebelados e fazem dois agentes penitenciários, identificados somente como João Almeida e Aurélio, reféns desde o final da manhã de domingo.  Como a rebelião teve início durante horário da visita de final de semana, 177 parentes dos detentos dos pavilhões 2 e 5, onde ocorre o motim, ficaram impedidos de sair. São 137 mulheres, 27 crianças e 13 homens. As negociações serão retomadas pela manhã. Os presos exigem a saída do novo diretor da penitenciária, Isidoro Orge Rodrigues, definido como linha-dura, assim como a volta de dois dos 12 detentos transferidos na semana passada - André Francisco, o Bilu, e Edson Conceição -, para a Unidade Especial Disciplinar (UED).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.