Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Presos em protesto são transferidos para Tremembé

Os quatro foram detidos em flagrante por incitação ao crime, crime de dano e formação de quadrilha

Luciano Bottini Filho e Bárbara Ferreira Santos, O Estado de S. Paulo

14 Junho 2013 | 10h20

SÃO PAULO - Quatro pessoas presas na noite de quinta-feira, 13, durante o quarto protesto contra o aumento da tarifa de transporte coletivo foram transferidas na manhã desta sexta-feira, 14, do 2º DP do Bom Retiro para o presídio de Tremembé. Eles foram presos em flagrante por incitação ao crime, crime de dano e formação de quadrilha.

A Secretaria de Segurança Pública ainda não informou se apenas esses quatro continuam presos. Ao todo, 232 pessoas foram conduzidas à delegacia para prestar depoimento. Segundo o Comando da PM, 198 foram levados ao 78º DP (Jardins) e 34 ao 1º DP (Sé). Segundo o Movimento Passe Livre, só os quatro permanecem presos.

Protesto de terça. Na quinta-feira, a Justiça concedeu liberdade provisória a 10 dos 13 presos em flagrante na manifestação de terça-feira, mediante pagamento de fiança de 2 salários mínimos (R$ 755 em São Paulo). O alvará de soltura pode ser emitido nesta sexta, caso advogados dos presos provem o pagamento. Depois, o inquérito seguirá para o Ministério Público, que decidirá se vai denunciá-los.

Os dez - entre eles a única mulher do grupo, Stephanie Fenselau, de 25 anos, desempregada - foram presos por dano ao patrimônio, formação de quadrilha e incêndio. "O mais importante é que o juiz afirmou que não cabe acusação de formação de quadrilha", afirmou o advogado Alexandre Martins, que defende o jornalista Pedro Nogueira.

Já o jornalista Raphael Sanz Casseb, de 26, foi preso por dano ao patrimônio e tinha direito à fiança. Os R$ 20 mil estipulados devem ser pagos nesta sexta.

Mais conteúdo sobre:
Protesto SPtrânsito SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.