Presos com uniformes de seguranças tentam fugir de presídio de segurança máxima

Eles foram reconhecidos quando tentavam passar pela portaria do presídio onde estão lideranças do PCC, como Marcola

Sandro Villar, Especial para O Estado de S. Paulo

19 de outubro de 2014 | 19h35

PRESIDENTE PRUDENTE - Trajando uniformes de agentes penitenciários, dois presos tentaram fugir neste domingo, 19, da P2 de Presidente Venceslau, no oeste de São Paulo. Eles só não conseguiram sair porque foram reconhecidos quando tentavam passar pela portaria. "Um agente os reconheceu e eles foram impedidos de sair", contou um segurança, que pediu anonimato.

A P2 é conhecida por abrigar chefões da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Um deles é Marcos Willian Herbas Camacho, o Marcola, apontado como líder máximo da facção.

Com estiletes, a dupla rendeu e ameaçou dois agentes de segurança e seguiu na direção da portaria. Eles vestiam roupas pretas com coletes e até o brasão do governo do Estado de São Paulo. 

A tentativa de fuga, que ocorreu pouco antes do meio-dia, está sendo investigada pela direção do presídio. "Ainda não recebemos toda a documentação dos agentes que estavam de plantão e, por isso, não tenho mais detalhes", afirmou o segurança ao Estado.

Os uniformes falsos podem ter sido tingidos de preto e confeccionados na própria penitenciária, conforme admitiu o segurança, explicando que "isso também será apurado".

Tudo o que sabemos sobre:
SegurançaPCC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.