Presos acusados de abusar de adolescentes no interior de SP

Foram detidos sete suspeitosem Murutinga de Sul; entre os presos estão empresário e funcionário público

Chico Siqueira, especial para O Estado de S.Paulo

16 Março 2009 | 18h20

A Polícia Militar de Murutinga de Sul, a 628 km de São Paulo, prendeu na tarde de domingo sete homens acusados de abusar sexualmente de seis crianças e adolescentes de 12 a 16 anos de idade. Os menores - meninos e meninas - eram levados para se prostituírem em festas e orgias realizadas em chácaras da zona rural do município, que tem 4 mil habitantes.

 

Veja também:

linkCasos de pedofilia nos EUA custaram US$ 430 mi à Igreja em 2008

linkPais devem orientar filhos sobre corpo desde cedo

linkEstudo mostra que pedófilos geralmente são parentes no Brasil

lista Como denunciar a pedofilia e proteger seus filhos na web 

documento A cartilha do governo para prevenção da exploração 

lista Todas as notícias sobre pedofilia  

 

Entre os presos, todos moradores em Murutinga, estão um servidor público, um comerciante e um empresário. Um oitavo acusado está foragido. Os oito mandados de prisão foram expedidos pela Justiça Estadual depois de a Polícia Civil ouvir relatos de 20 crianças, com idades entre 12 e 14 anos, que presenciaram ou sofreram os abusos.

 

As investigações, segundo a delegada da Mulher de Andradina, Milena Davoli Nabas de Melo, tiveram início na sexta-feira, quando a mãe de uma das crianças denunciou que a filha era abusada por homens da cidade. De acordo com a delegada, por conta do segredo de Justiça, os nomes dos suspeitos e das vítimas, não poderia ser divulgado. Milena também não informou quais provas há contra os suspeitos, mas a informação é de que pelo menos dois exames de corpo de delito comprovaram que duas vítimas foram violentadas.

 

As prisões movimentaram a cidadezinha. Dezenas de curiosos foram na frente da delegacia, que teve as portas fechadas e por precaução, a polícia transferiu os presos para a Cadeia Pública de Pereira Barreto, cidade vizinha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.