Presos 6 suspeitos de espancar jovem até a morte na Bela Vista

Auxiliar administrativo foi roubado e assassinado no dia 26 de janeiro por grupo que tinha como alvo homossexuais

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

02 Fevereiro 2014 | 19h47

A Polícia Civil prendeu na madrugada deste sábado, 2, seis suspeitos de roubar e espancar até a morte o auxiliar administrativo Bruno Borges de Oliveira, de 18 anos, no dia 26 de janeiro. O crime ocorreu na Bela Vista, região central de São Paulo. De acordo com a polícia, os criminosos confessaram o crime e afirmaram que tinham como principal alvo de suas ações rapazes homossexuais.

A vítima foi morta na Rua Herculano de Freitas, na região da Rua Frei Caneca, frequentada pelo público LGBT. Ele e mais dois amigos foram cercados pelo bando quando saíam de uma festa, por volta das 5h do dia 26. Ao contrário dos dois amigos, Oliveira não conseguiu fugir e foi espancado até a morte. O bando chegou a usar um skate para golpear a vítima na cabeça. Os criminosos levaram o par de tênis, a carteira e o Bilhete Único do auxiliar administrativo.

Após ouvir testemunhas e analisar imagens de câmeras de segurança da região, os policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais conseguiram prender, na noite deste sábado, dois criminosos. As prisões ocorreram no mesmo bairro do crime. Os suspeitos entregaram os outros quatro comparsas, que também acabaram detidos. Foram presos Leonardo da Rosa, de 23 anos, Evertron José Teodoro de Souza, Gabriel Leal Noronha e Daniel Henrique da Silva, todos de 20 anos, além de dois adolescentes de 16 anos.

Segundo a Polícia Civil, a Justiça decretou a prisão temporária dos suspeitos, que irão responder por latrocínio (roubo seguido de morte) e formação de quadrilha.

À polícia, os suspeitos disseram ainda que haviam feito outro ataque cerca de uma hora e meia antes de espancarem Oliveira e que escolhiam gays como vítimas de seus crimes.

Mais conteúdo sobre:
violência homofobia sp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.