Preso vigia acusado de ajudar a assassinar Mércia Nakashima

Polícia achou Evandro Bezerra Silva em Alagoas; ele é suspeito de auxiliar o ex-namorado da vítima, Mizael de Souza

/A.F. e MICHELINY TENÓRIO, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2012 | 03h01

Dois anos após a morte da advogada Mércia Nakashima, o vigilante Evandro Bezerra Silva foi preso ontem em Alagoas. Ele é acusado de ter ajudado o ex-namorado da vítima, Mizael Bispo de Souza, a praticar o crime. A polícia chegou ao foragido por meio de uma denúncia anônima. Ele estava escondido no povoado Candu, em Carneiros, município do sertão alagoano.

Procurado pela Justiça de São Paulo, Evandro estava foragido desde dezembro de 2010, quando teve a prisão decretada. Com ele, a polícia apreendeu um revólver calibre 32, além de munições, uma moto roubada com placa de outra motocicleta, também roubada, e duas toucas tipo balaclava (que só deixam os olhos de fora). Ele foi cercado, recebeu voz de prisão e não resistiu.

O acusado foi levado para a Delegacia Regional de Santana do Ipanema, na região de Carneiros, e de lá foi transferido para Maceió - primeiramente para a Academia de Polícia Militar Senador Arnon de Mello e, em seguida, para a Casa de Custódia.

Ao chegar à Academia, Evandro negou o envolvimento na morte da advogada Mércia. Explicou que trabalhou como segurança de um empreendimento de Mizael Bispo em Guarulhos, na Grande São Paulo, e que voltou a Alagoas havia cerca de um ano. O vigilante também é suspeito de participação em roubos a estabelecimentos comerciais, bancários e a agências dos Correios, em Alagoas.

A transferência dele para a capital paulista estava prevista para ainda ontem. O delegado Waldomiro Milanese, da Divisão de Capturas da Polícia Civil de São Paulo, viajou à cidade por volta do meio-dia de ontem para acompanhar a transferência.

Segundo o delegado-geral, Marcos Carneiro Lima, a detenção de Evandro era prioridade - o comando da Polícia Civil de São Paulo comemorou a prisão. Policial militar reformado, Mizael se entregou em fevereiro e está preso em cela especial no presídio da corporação, o Romão Gomes, na zona norte.

O crime. Mércia Nakashima, de 28 anos, foi abordada em Guarulhos e morta em Nazaré Paulista, no dia 23 de maio de 2010. Ela morreu afogada depois de levar um tiro no rosto e ter seu carro jogado em uma represa de Nazaré Paulista.

Evandro e o ex-namorado da vítima são réus no processo, acusados de homicídio e ocultação de cadáver. De acordo com o Ministério Público, o crime foi praticado porque Mizael não aceitava o fim do relacionamento com Mércia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.