Preso suspeito de atacar mulheres no metrô

Acusado se passava por executivo espanhol para atrair as vítimas e estuprá-las em hotéis[br]da região central

Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2010 | 00h00

Acusado de ser um maníaco que abordava as vítimas na Estação Anhangabaú do Metrô, Ricardo Dagort da Silva, de 30 anos, foi detido ontem e levado à 1.ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). Ele se dizia executivo de uma multinacional espanhola para atrair mulheres para entrevistas de emprego. Elas eram levadas a hotéis da região central, onde acabavam violentadas.

Silva foi reconhecido por duas vítimas. "Sua tática era semelhante à do maníaco do Parque", disse a delegada Celi Paulino Carlota, titular da 1.ª DDM. A detenção do suspeito só foi possível porque uma das vítimas o reconheceu ontem quando ele tentava supostamente abordar outras mulheres no metrô.

A mulher havia sido enganada por ele no dia 3 na mesma Estação Anhangabaú. O suspeito vestia terno e tinha uma pasta de executivo na mão. A vítima foi levada para um hotel, no qual sofreu violência sexual. Ela registrou uma queixa na polícia.

Depois de reconhecê-lo ontem na estação, a vítima esperou o homem sair com alguma mulher. Sua intenção era acompanhá-lo para que o acusado fosse preso. Ela mudou de ideia e chamou os seguranças e PMs quando percebeu que o suspeito ia apanhar um dos trens.

Detido, ele foi levado à 1.ª DDM, onde uma escrivã se recordou de outro caso semelhante, ocorrido em 23 de julho. A vítima foi à delegacia e reconheceu o acusado. A delegada pediu a prisão temporária do acusado, que negava os crimes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.