Reprodução
Reprodução

Preso suspeito de assassinatos na Oscar Freire

Analista de sistemas e modelo foram encontrados mortos na última terça-feira

estadão.com.br

29 de agosto de 2011 | 13h07

SÃO PAULO - Lucas Cintra Zanetti Rossetti, principal suspeito de matar a facadas o analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52 anos, e o modelo Murilo Rezende da Silva, de 21, foi preso nesta segunda-feira, 29, em Sertãozinho, interior de São Paulo. O suspeito foi encontrado na casa de uma conhecida na Rua Terezinha Duque Borborema no bairro Vila Áurea. Ele não resistiu a prisão, que aconteceu por volta do meio-dia.

 

A polícia chegou até Rossetti após receber uma denúncia anônima na manhã de hoje. Cerca de 12 policiais da Divisão de Investigações Gerais (DIG) da cidade participaram da ação para prende-lo. Após a prisão, ele foi encaminhado para a sede da DIG, em companhia de seu advogado e da dona da residência.

 

O Honda Civic do analista de sistemas Eugênio Bozola, usado por Lucas para a fuga, foi encontrado na madrugada de domingo na cidade. O veículo estava sem placas abandonado no bairro Jardim Aliança.

 

De acordo com a polícia, está sendo feito o boletim de ocorrência sobre captura de procurado e o suspeito pode ser transferido ainda hoje para São Paulo, onde deve prestar depoimento à Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga o assassinato.

 

Crime. O analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52 anos, foi assassinado na madrugada de terça-feira no apartamento onde vivia na Rua Oscar Freire, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo. No local, também foi encontrado morto o modelo Murilo Rezende da Silva, de 21 anos, Mister Piauí 2011. As vítimas foram esfaqueadas.

 

Bozola foi encontrado na cozinha, na manhã de quarta-feira, pela diarista Neide Ferreira, de 46 anos, que tinha a chave do local. Ele estava com calça social preta e camisa. Aos gritos, ela avisou o porteiro, que chamou a PM. Dentro do apartamento, os policiais acharam em um dos quartos o corpo de Silva, que estava com a cabeça coberta com um saco plástico, vestindo uma bermuda e camiseta de manga longa. As vítimas foram golpeadas, com duas facas de cozinha, na altura do pescoço e rosto

 

Rossetti foi hóspede do apartamento onde os dois moravam. De acordo com o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o suspeito matou os dois na noite do dia 22, depois das 22 horas, e fugiu com o carro do analista. O assassino usou duas facas de cozinha e golpeou as vítimas na altura do pescoço e rosto.

 

No dia dos assassinatos, vizinhos ouviram discussões, depois de um som de festa. No apartamento, a polícia achou o tênis de Rossetti - flagrado com o mesmo calçado que ele usava quando, com Bozola, foi filmado pelo circuito interno de uma pizzaria, no fim de semana anterior. Os dois, acompanhados de um terceiro amigo, foram a uma boate.  /Com reportagem de Marcelo Godoy, William Cardoso e Solange Spigliatti

 

Atualizada às 13h50 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.