Preso golpista que seduzia mulheres na internet

Com um enredo que envolvia de ascendência alemã a ameaças da máfia chinesa, Douglas Coelho de Oliveira, de 27 anos, enganou a namorada que conheceu pela internet e tentou extorqui-la em US$ 74 mil. Foi preso no dia 24, em São Paulo. Outras três mulheres já procuraram a polícia.

Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2010 | 00h00

Oliveira, de Diadema, apresentou-se como Maurício Coelho Kojoskowhitt Zimmermann, fiscal da Receita Federal. Alegou que sua conta fora bloqueada e depositou R$ 20 mil na conta da vítima. Pediu o cartão para movimentar o dinheiro, mas gastou os R$ 20 mil e muito mais, zerando a conta da vítima. Além disso, nesse período, viajou para o Nordeste com a namorada, às custas dela. Submeteu-se a cirugias plásticas no rosto e no abdome, também pagas por ela. No fim, recebeu um Jetta, modelo de luxo da Volkswagen, cujo preço parte de R$ 79 mil, financiado pela namorada.

Diante dos crescentes gastos, a família da vítima questionou o relacionamento. Desconfiada, a paulistana procurou o Deic no início do mês passado e descobriu que o Maurício que conhecera não existia. "Havia na internet páginas alertando que ele era estelionatário", afirma o delegado Jan Plzak.

A vítima tentou terminar o namoro, mas Oliveira criou uma ameaça. Afirmou que um ex-namorado dela havia contraído dívida com a "máfia coreana" e, se o débito não fosse quitado, os criminosos matariam um familiar dela. De estelionato o caso transformou-se em extorsão e o Deic orientou a paulistana a tentar diminuir o valor. A vítima conseguiu reduzir a cobrança de US$ 74 mil para R$ 23 mil e combinou a entrega em um shopping. Ao pegar o dinheiro dela, recebeu voz de prisão.

Oliveira afirmou ser tradutor, mas fala apenas português. Agora, está preso no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, na zona oeste da capital. /

1. Desconfie. Essa é a principal regra para quem usa sites como o Orkut em busca de relacionamentos. Se o usuário se diz popular e bem-sucedido e não tem recados de amigos, por exemplo, algo está errado. Cheque sempre a rede de contatos.

2. Nunca forneça seus dados. Com números de documentos é possível fazer compras em lojas virtuais e aplicar golpes na rede.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.