Divulgação
Divulgação

Preso no interior de SP empresário suspeito de mandar matar prefeito

Laércio Betarelli, prefeito de Elias Fausto, foi morto com 6 tiros em 2 de outubro; segundo a polícia, motivação do crime foi econômica

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

23 de outubro de 2015 | 17h54

SOROCABA - O empresário Sérgio Vicente Picão, de 42 anos, foi apresentado nesta sexta-feira, 23, pela Secretaria da Segurança Pública do Estado como suspeito de ser o mandante da morte do prefeito de Elias Fausto, Laércio Betarelli (PSDB), assassinado com seis tiros no dia 2 de outubro. Ele teve a prisão preventiva decretada e estava preso desde a noite anterior em Piracicaba. Picão nega o crime. A Polícia Civil divulgou um retrato falado do homem acusado de fazer os disparos e que está foragido.

O secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, que viajou a Piracicaba para anunciar o esclarecimento do caso, disse que a motivação do crime foi econômica. Picão, que atua no setor imobiliário, pretendia lançar loteamentos irregulares em Elias Fausto, mas os projetos foram embargados pelo prefeito. Moraes descartou motivos políticos para o crime. Segundo ele, depois das desavenças administrativas, o desentendimento migrou para o campo pessoal.

Segundo a investigação, Betarelli e o suspeito chegaram a trocar ofensas pelas redes sociais. O empresário chegou a denunciar o prefeito por um suposto descarte irregular de lixo em Indaiatuba, cidade da região. A Polícia Civil de Piracicaba iniciou a investigação pela caminhonete Fiat Strada que testemunhas viram deixando o local do crime. O utilitário havia sido comprado por Picão poucos dias antes. De acordo com o secretário, o motorista da caminhonete seguiu o prefeito no dia do crime, como mostram fotos de radares. 

O advogado do empresário, Osvaldo Flausino Júnior, disse que seu cliente alega inocência e que os indícios apresentados pela polícia não provam a prática do crime. Segundo ele, por envolver um prefeito, houve pressa da polícia em apresentar um resultado. O advogado deve entrar com pedido de habeas corpus para que o empresário se defenda da acusação em liberdade. Betarelli, que tinha 58 anos, foi morto quando vistoriava sozinho obras de saneamento na cidade. O vice Antonio de Campos Bicudo (PTB) assumiu a prefeitura.


Tudo o que sabemos sobre:
São PauloElias Fausto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.