Preso dono de restaurante que matou cliente

A juíza Denise Gomes Bezerra Mota, da 1.ª Vara Criminal do Guarujá, no litoral sul paulista, determinou a prisão temporária do dono da churrascaria Casa Grande, José Adão, acusado de matar a facadas o estudante Mário dos Santos Sampaio, de 22 anos, na véspera do réveillon, por uma discordância no valor da conta. Mota chegou à delegacia no fim da tarde de ontem.

ZULEIDE DE BARROS , ESPECIAL PARA O ESTADO / GUARUJÁ, O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2013 | 02h08

Para a juíza, o comerciante ocultou imagens do sistema de câmeras do local - investigadores da delegacia-sede recolheram o computador do lugar após o crime - e poderia seguir dificultando a apuração se mantido em liberdade.

O estudante, que estava com a namorada e dois amigos na noite em que morreu, não concordou em pagar R$ 19,99 pela refeição - um anúncio na porta do estabelecimento informava o valor de R$ 12,99. Na discussão, o comerciante acabou dando três facadas nas costas do jovem.

Em seu primeiro depoimento à polícia, Mota alegou que, por falta de manutenção, o sistema de monitoramento do local não estava funcionando. No dia seguinte, porém, o dono da empresa que instalou as câmeras desmentiu o dono da churrascaria.

José Adão confessou a autoria do crime, alegando que saiu em defesa do filho, Diego Souza Passos, gerente do local, que também se envolveu no caso. Na ocasião, ele chegou a dizer que "só queria dar uma furadinha".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.