Preso comparsa de assaltante chefe de grupo que torturava vítimas no Morumbi

Com o criminoso, os policiais encontraram um relógio no valor de R$ 20 mil

Ricardo Valota, do estadão.com.br, e William Cardoso, de O Estado de S.Paulo,

14 Dezembro 2011 | 03h54

SÃO PAULO - Investigadores do 73º Distrito Policial, do Jaçanã, zona norte da capital paulista, prenderam, no final da tarde de terça-feira, 13, o assaltante Marco Antonio Souza da Costa, de 31 anos, comparsa de Emerson Rodrigo Resende dos Santos, o "Dudu", de 27 anos, bandido preso no último dia 10 e apontado pela polícia como líder de uma quadrilha de bandidos que vinham agindo principalmente na região do Morumbi, zona sul de São Paulo. "Dudu" é acusado de torturar as vítimas, usando de crueldade, durante os assaltos, a maioria praticada a residências.

 

Marco Antonio foi localizado pelos policiais na Rua Louis Carrand, no Jardim Macedônia, região do Capão Redondo, zona sul da cidade, no limite com a cidade de Embu das Artes. Ao ser abordado em frente ao número 77, onde mora, o criminoso, que era procurado pela justiça, correu e tentou se esconder em um bar, no número 100 da mesma rua. Com ele, os policiais apreenderam um relógio de luxo da marca Tag Heuer Mercedes Benz, no valor aproximado de R$ 20 mil, possivelmente roubado.

 

Segundo ainda os policiais, Marco Antonio morava em Embu das Artes, mas resolver se esconder na capital. Ao ser dominado, o criminoso apresentou uma CNH falsa em nome de Marco Antonio de Oliveira. A polícia promete fornecer mais dados a respeito da prisão de Marco Antonio às 11h30 desta quarta-feira, 14, na 4ª Delegacia Seccional, Norte, anexa ao 13º Distrito Policial, da Casa Verde. Souza, além dos assaltos ao lado de Emerson Rodrigo, costumava agir em toda a capital paulista. A prisão foi registrada pelo delegado Nelson Vinícius Alves

 

Dudu. Emerson Rodrigo Resende dos Santos foi detido sábado, 10, à noite, por policiais do 62º Distrito Policial, de Ermelino Matarazzo, zona leste. O bando de Dudu é suspeito de ter praticado pelo menos 12 assaltos na região nos últimos meses. Eles são acusados de crueldades para intimidar as vítimas.

 

No momento da prisão, Dudu participava de um baile funk no Campo Limpo, nas proximidades da Avenida Carlos Lacerda, também na zona sul. Os comparsas do assaltante ainda tentaram evitar a detenção do líder da quadrilha, atirando contra os policiais. Eles conseguiram fugir e, até a noite de ontem, não foram localizados pela polícia. O próprio Dudu lutou contra os policiais durante a prisão. Ele tem mais de um 1,90 metro de altura e é bastante forte. Na briga, o assaltante feriu o braço de um dos investigadores. Oito policiais fizeram a escolta do acusado até o 24º Distrito Policia, da Ponte Rasa, onde o caso foi registrado.

 

As investigações que levaram a polícia até Dudu duraram pelo menos três meses. O delegado José Ademar de Souza, do 62ºDP, já acompanhava as atividades do bando desde o período em que trabalhava na região da 3ª Delegacia Seccional, Oeste. O bandido foi identificado ainda em novembro como um dos responsáveis por aterrorizar os moradores do Morumbi. Além do assalto a residências, o criminoso também era conhecido pelo envolvimento com quadrilhas que atuam no roubo de cargas.

 

Os assaltos cometidos pelo bando de Dudu eram caracterizados pela forma cruel como atacava as vítimas. Em alguns casos, chegavam a cortar os dedos dos moradores e obrigá-los a beber o próprio sangue para fazer com que dissessem onde estavam o dinheiro e as joias. A quadrilha de Dudu também jogava álcool e ameaçava atear fogo às vítimas. Eles atuavam fortemente armados, contando inclusive com fuzis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.