Preso agenciador acusado de agredir atletas sul-coreanos

Jovens, entre eles seis menores, vieram a Campinas para se tornar jogadores de futebol

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

28 Maio 2013 | 10h34

CAMPINAS - O sul-coreano Dong Hyun Kim, conhecido como Ricardo, foi preso na tarde dessa segunda-feira, 27, em Campinas, acusado de agredir 21 jovens de seu país, seis deles menores de idade, que vieram ao Brasil para se tornar jogadores de futebol.

Os jovens sul-coreanos afirmaram ao Conselho Tutelar e à Polícia Militar que apanhavam com tacos de beisebol e sinuca quando não tinham bom desempenho nos treinamentos. Eles moravam em uma chácara alugada pelo agenciador, em Campinas, e pagaram, cada um, US$ 2 mil para o acusado.

Um técnico brasileiro que treinava os jovens e não teve o nome divulgado fez a denúncia para a polícia na última sexta-feira, 24. Nesta segunda-feira, com a presença de conselheiros tutelares, os jovens confirmaram as agressões e mostraram fotos para comprovar.

Segundo a Polícia Civil, nem o técnico brasileiro, nem o dono da chácara, o ex-jogador Zé Sérgio, atual técnico das categorias de base da Ponte Preta, sabiam das agressões. O imóvel foi alugado pelo agenciador sul-coreano há seis meses.

Zé Sérgio assinou um termo e os atletas ficarão sob sua responsabilidade na chácara que estava alugada. A Polícia Federal vai averiguar nesta terça-feira, 28, se os jovens estão em situação regular no País.

O acusado negou na polícia qualquer tipo de agressão. Sua mulher, que é a tutora dos adolescentes, e não teve o nome divulgado, também afirmou à polícia que os atletas não eram agredidos.

Mais conteúdo sobre:
Campinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.