Hélvio Homero/Estadão
Hélvio Homero/Estadão

Presidente estadual do PSDB diz que governo fará proposta aos PMs

Duarte Nogueira disse compreender o 'desabafo' do vereador coronel Telhada (PSDB)

Marcelo Godoy, O Estado de S. Paulo

26 Setembro 2013 | 14h17

SÃO PAULO - O presidente estadual do PSDB, deputado federal Duarte Nogueira, afirmou ao Estado que as declarações do vereador e coronel Paulo Adriano Telhada (PSDB) são "um desabafo".  "Ele é da corporação, foi eleito com votos da categoria, defendendo ideias e a própria PM, o que é justo e correto", afirmou nesta quinta-feira, 26. Telhado disse no Facebook  que o governo de Geraldo Alckmin não havia sido leal com a PM e tratava os policiais militares como "filhos bastardos".

As declarações do vereador tucano foram uma reação ao anúncio de aumento de salário para policiais civis feito na quarta-feira, 25, pelo governador Alckmin. Nogueira tentou diminuir a temperatura da crise aberta entre o partido e seu principal representante na área da segurança pública. O presidente estadual do PSDB explicou a política salarial do governo para a segurança pública. Disse que a adminsitração concedeu 7% de reajuste para todas as carreiras, para os ativos e para os inativos. "Nos últimos três anos, os reajustes acumulados somaram 36,9%. A inflação medida pelo IPC da Fipe ficou em 19,09%. Assim, houve um aumento real de 17,9%", disse.

Nogueira afirmou ainda que o governo concedeu ontem uma gratificação para os delegados da ativa em função do reconhecimento de que a carreira deles é jurídica, conforme lei votada em 2012 pela Assembleia Legislativa. "Nas próximas duas semanas, o governo vai apresentar o plano para as carreiras policiais militares, valorizando-as, o que é o objetivo da administração. Nós respeitamos a opinião do Telhada e faremos todo o esforço para evitar o desalinhamento das carreiras civis e militares para que todos trabalhem juntos pela segurança pública", afirmou Nogueira

Sobre a decisão do deputado major Olímpio Gomes (PDT) de defender greve dos PMs e convocar uma marcha ao Palácio, Nogueira disse que "isso é jogar no quanto pior, melhor". "Temos de construir e não destruir, pois é isso que a população deseja". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.