Presidente do TJ-MG recusa teste do bafômetro e põe mulher na direção

O presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), desembargador Cláudio Costa, se recusou a fazer o teste do bafômetro ao ser parado em uma blitz da lei seca em Belo Horizonte, no domingo. Segundo a PM, o magistrado trocou de lugar com a mulher, a também desembargadora Albergaria Costa, momentos antes de ser parado na fiscalização.

O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2012 | 03h08

De acordo com a ocorrência, Cláudio Costa dirigia o veículo particular do casal, mas passou a direção para a mulher ao perceber que seria abordado. Testemunhas afirmaram que Costa apresentava sintomas de embriaguez, mas ele se recusou a soprar o bafômetro. A desembargadora se submeteu ao teste, que deu negativo.

Em nota, o TJ-MG afirmou que a acusação de troca foi "prontamente refutada" pelos magistrados. A ocorrência não consta no site da PM, mas a Secretaria de Estado de Defesa Social confirmou a troca e disse que "providências legalmente previstas" serão adotadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.