Reprodução
Reprodução

Presidente do STF condena ataque a juíza em São Paulo

Ricardo Lewandowski disse que providências serão tomadas para garantir a segurança de magistrados, servidores e familiares

Gustavo Aguiar, O Estado de S. Paulo

31 Março 2016 | 12h31

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, condenou nesta quinta-feira, 31, o ataque contra a juíza Tatiane Moreira Lima, em São Paulo. Em nota, Lewandowski disse que providências serão tomadas para garantir a segurança de magistrados, servidores e familiares que compõem o Poder Judiciário. Imagens divulgadas mostram a ação.

Para o ministro, o crime "expõe de maneira explícita e cruel a intolerância e brutalidade" e é motivo de preocupação para o País. "O ódio, o ressentimento e a incompreensão não podem ser motivos para se atacar as instituições da República e, especialmente, o Poder Judiciário, que sempre garantiu a estabilidade democrática do País, executando com destemor o juramento de fielmente cumprir e fazer cumprir as leis e a Constituição da República", escreveu Lewandowski.

Na quarta, 30, um homem fez a juíza refém e ameaçou de atear fogo no corpo dela no Fórum do Butantã, na zona oeste de São Paulo. O agressor, segundo a assessoria do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), entrou correndo pela saída do prédio, que não tem detector de metais, e incendiou um dos corredores.

O homem foi cercado e preso. Policiais apuraram que ele teria uma audiência com a juíza, mas o TJ-SP não confirmou a informação. Em 2013, foi registrado um boletim de ocorrência contra Santos por agressão à sua mulher.

Veja abaixo os vídeos da ação do homem no Fórum do Butantã:

Mais conteúdo sobre:
STF Ricardo Lewandowski Poder Judiciário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.