Presidente do sindicato não descarta continuação da greve

Uma assembleia está marcada para as 14h na sede do sindicato

Laura Maia de Castro, O Estado de São Paulo

08 de junho de 2014 | 14h11

SÃO PAULO - Mesmo diante da determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT)do fim imediato da greve do metrô, o presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Prazeres Júnior, não descartou a possibilidade de que a paralisação continue.  "Existe sim a possibilidade de continuar a greve, mas nós vamos falar com os trabalhadores para saber a opinião deles. Quem vai decidir se a greve continua ou não não é o sindicato e sim a categoria", disse Altino.

Uma assembleia está marcada para as 14h na sede do sindicato e, segundo Altino, até o resultado desta reunião que deve terminar por volta das 16h, a greve continua.

O TRT determinou multa de 500 mil reais por dia, caso a decisão não seja cumprida. Além disso, o sindicato terá de pagar 100 mil reais por dia de greve até hoje. O dinheiro, segundo o desembargador Rafael Pugliese, será encaminhado ao Hospital do Câncer de Sao Paulo.

De acordo com a advogada dos metroviários,  Eliana Ferreira,  o sindicato vai recorrer a decisão.  "Vamos entrar com todos os recursos cabiveis no TST o mais rápido possivel", disse Eliana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.