Presidente de sindicato é morto a tiros dentro de carro na Liberdade

Carlos Alberto dos Reis foi encontrado pela PM no banco de motorista com ao menos 7 tiros e não conseguiu sobreviver aos ferimentos

Luciano Bottini Filho - O Estado de S. Paulo

19 de outubro de 2013 | 16h37

O presidente do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo, Carlos Alberto dos Reis, o Carlão, de 50 anos, foi morto a tiros, na sexta-feira, 19, por volta das 20h30, na Liberdade, região central de São Paulo. Ele foi encontrado pela Polícia Militar com pelo menos sete tiros, no banco do motorista de um Polo Sedan prata, na travessa Rugero, esquina com a Rua Dr. Lund.

Pessoas próximas ao local ouviram os disparos por volta das 20h20 e ligaram para o 190 avisando que havia um homem baleado. Carlão chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros. Ele foi levado ao Pronto-Socorro Vergueiro, mas não resistiu. Segundo a polícia, foram três tiros no braço esquerdo, um no ombro esquerdo, dois na região das costelas esquerdas e um no abdômen.

O carro pertence ao sindicato. Ele estava com o vidro dianteiro estilhaçado e uma marca de tiro na porta do passageiro. A polícia apreendeu dentro do automóvel dois celulares, um laptop, um bastão retrátil, dois pen-drives, um GPS e uma bolsa de couro preta.

No momento dos disparos, nenhuma testemunha presenciou a vítima ser alvejada, segundo a Polícia Civil. No entanto, próximo do local, há uma Igreja da Assembleia de Deus, com duas câmeras de segurança. Duas pessoas já foram ouvidas pela polícia: a secretária da vítima e um diretor do sindicato.

Como não foram levados pertences da vítima, o caso está sendo investigado pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). O presidente do sindicato estava no cargo havia três anos. Ele era casado e tinha uma filha. Em nota, a entidade confirmou a morte de Carlão e diz que ainda não há informações sobre o velório e enterro da vítima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.