Presidente de comissão quer abrir CPI na Assembleia para investigar violência em universidades

Inquérito aberto há dois meses pelo MPE reúne pelo menos oito casos de estupro na Faculdade de Medicina da USP

FABIANA CAMBRICOLI, O Estado de S. Paulo

18 Novembro 2014 | 20h31

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, o deputado Adriano Diogo (PT) abriu nesta terça-feira, 18, requerimento para recolher as assinaturas necessárias para a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com o objetivo de investigar as denúncias de violência na Universidade de São Paulo (USP) e em outras unidades de ensino do Estado.

Inquérito aberto há dois meses pelo Ministério Público Estadual (MPE) reúne pelo menos oito casos de estupro na Faculdade de Medicina. “O objetivo é investigar qualquer violação de direitos humanos no ambiente universitário. Temos relatos de situações gravíssimas que ocorrem em outras faculdades, além da FMUSP”, diz o deputado.

Para que a abertura da CPI seja levada para votação em plenário, no entanto, é preciso que 32 parlamentares assinem o requerimento.

Diogo disse que vai convidar novamente o diretor da FMUSP para a próxima reunião da comissão, marcada para terça-feira. Procurada, a faculdade afirmou que está à disposição para fazer todos os esclarecimentos.

Mais conteúdo sobre:
Estupros na USP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.