Presidente de câmara setorial defende aditivos

"Eles sempre encontram uma maneira de tentar justificar suas ideias", afirmou o presidente da Câmara Setorial do Tabaco, Romeu Schneider, sobre as pesquisas que afirmam que o cigarro estaria mais perigoso que há 50 anos. "O consumo em excesso de qualquer produto pode trazer problemas", completou.

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

02 Maio 2014 | 02h04

Ele ressalta ainda que produtores brasileiros já concordaram em não usar aditivos que possam conferir sabor ao cigarro, como os de frutas. "Mas alguns são essenciais para manutenção do blend. Se eles fossem tirados do mercado, o ganho seria apenas de produtores de outros países."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.