Presidente da Câmara critica reportagem sobre gastos dos vereadores; números utilizados são do site oficial da Casa

Texto mostra que os parlamentares de São Paulo consumiram mais de R$ 9 milhões no ano passado em gastos relacionados a combustível, material de escritório e correio

O Estado de S. Paulo

04 Fevereiro 2014 | 13h08

SÃO PAULO - Em entrevista à 'Rádio Estadão', o presidente da Câmara Municipal de São Paulo, José Américo (PT), disse que a reportagem publicada na edição desta terça-feira, 4, de O Estado de S. Paulo erra ao classificar a verba mensal disponibilizada a cada gabinete de vereador como cota. O texto mostra que os vereadores de São Paulo consumiram mais de R$ 9 milhões no ano passado em gastos relacionados a combustível, material de escritório e correio. O gasto aumentou no mês de dezembro, quando alguns parlamentares praticamente 'fecharam a conta', gastando quase tudo o que era possível.

O petista Reis, por exemplo, gastou exatamente o valor máximo - R$ 217,9 mil. Segundo Américo, não existe 'cota mensal', apenas uma disponibilidade de verba prevista por mês, que é de R$ 18,1 mil. Ele ainda ressaltou que a verba é acumulativa ao longo do ano e que, por isso, pode crescer de um mês para o outro. A reportagem utilizou números oficiais, publicados no site da Câmara Municipal, e informou o mesmo que o vereador José Américo afirmou na rádio. O próprio site ressalta que existe uma verba mensal prevista, de R$ 18,1 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.