Presas 14 pessoas suspeitas de integrar o PCC em Sorocaba

Operação da Polícia Civil tinha 38 mandados de prisão e outros 24 de busca e apreensão na região

tatiana Fávaro, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2008 | 16h42

A Polícia Civil de Sorocaba cumpriu nesta quinta-feira, 15, 38 mandados de prisão e 24 mandados de busca e apreensão, em operação que identificou lideranças do Primeiro Comando da Capital (PCC) na região. Foram presas 14 pessoas e cumpridos mandados de 13 mulheres que já estavam detidas e 11 homens também presos anteriormente.   Segundo o delegado Acácio Aparecido Leite, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba, a investigação durou três meses e identificou o grupo liderado por Leandro Roberto Paulino, 25 anos, preso em Valparaíso pelo suposto crime de tráfico de drogas. "Mesmo estando preso, ele vai responder agora por mais um processo por associação ao tráfico", afirmou Paulino.   Nesta quinta-feira, a polícia prendeu mãe, mulher e amante de Paulino durante a operação. "Identificamos o braço armado da quadrilha, mulheres que fazem distribuição de drogas, familiares que administram o dinheiro e os soldados na ponta da estrutura, que são os traficantes", disse o delegado.   A polícia apreendeu ao menos 20 celulares usados por mulheres presas na Cadeia Feminina de Votorantim, onde a facção teria mantido durante esse tempo um braço de distribuição de drogas. Durante as buscas, a polícia também apreendeu duas armas de fogo e quantidade ainda não identificada pela perícia de maconha, crack e cocaína, droga encontrada dentro e fora das cadeias vistoriadas.   De acordo com Leite, parte das pessoas já detidas cujos nomes estavam nos novos mandados de prisão foi transferida para o Centro de Detenção Provisória de Campinas enquanto aguarda transferência para outros presídios. O delegado não informou quantos dos supostos integrantes do grupo serão removidos da região.   Durante a operação trabalharam 90 policiais de Sorocaba e região e foram usadas 30 veículos para o cumprimento dos mandados.

Tudo o que sabemos sobre:
PCCpolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.