Presa suposta ativista de direitos humanos

RIO

, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2010 | 00h00

Jonya Lúcia Trotte Couto, de 44 anos, que se apresentava como militante dos direitos humanos, foi presa ontem acusada de atuar como informante de traficantes dos Morros Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, zona sul do Rio. De acordo com a Polícia Civil, ela informava aos traficantes refugiados no Morro da Chatuba, no Complexo da Penha, sobre a ação policial após a chegada da Unidade de Polícia Pacificadora. Jonya disse que integrava a Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ. A comissão nega.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.