JB Neto/AE-8/2/2011
JB Neto/AE-8/2/2011

Presa quadrilha que roubou casa de secretário

Mesmo bando invadiu residência no Alto de Pinheiros, tomou 4 reféns e, na fuga, tentou atropelar PMs; perseguição acabou na USP

Marcelo Godoy e Bruno Lupion, O Estado de S.Paulo

24 Fevereiro 2011 | 00h00

A prisão de três homens e um adolescente depois de uma perseguição que terminou anteontem à noite na Cidade Universitária levou a polícia a esclarecer o assalto à casa do secretário Estadual de Logística e Transportes de São Paulo e ex-chefe da Segurança, Saulo de Castro Abreu Filho. No começo da noite de ontem, outros dois acusados do crime foram presos - um sétimo homem continuava foragido até as 21 horas de ontem.

Parte dos objetos roubados pelo bando foi recuperada. O esclarecimento do caso começou depois que policiais do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) receberam uma informação sobre a identidade de um dos acusados de um assalto a residências.

Ele passou a ser monitorado. Na noite de anteontem, os policiais descobriram que o suspeito havia sido preso em flagrante depois de um roubo à casa de um médico no Alto de Pinheiros, mesmo bairro onde Saulo e sua família foram mantidos reféns, depois de a casa da família ser invadida, em 7 de fevereiro.

O suspeito e seus comparsas foram levados para o Deic. Ali foram fotografados. Saulo reconheceu todos, incluindo o adolescente - teria sido o jovem de 17 anos que o amarrou e o ameaçou com uma arma.

Os investigadores do Deic também localizaram outros dois suspeitos e obtiveram mandados de busca para revistar as casas dos acusados, em busca de armas e objetos roubados - tudo foi levado para o Deic, a fim de que as vítimas do grupo tentassem o reconhecimento.

A perseguição. A quadrilha de roubo a residências foi presa após uma perseguição de quatro quilômetros até o câmpus da USP. Os quatro homens invadiram a casa no Alto de Pinheiros e tomaram como reféns o casal de proprietários, um entregador e dois vigias. Na fuga, ainda tentaram atropelar dois policiais na Praça Pan-americana. Mas ninguém ficou ferido.

Os ladrões usavam um Palio verde quando chegaram à Rua Aramanai, às 21 horas. Dois deles dominaram um vigia e aproveitaram a chegada do entregador para invadir a casa e dominar o médico e a mulher. Os reféns foram obrigados a deitar no chão. Um segundo vigia ainda foi detido e ficou refém no Palio.

Os assaltantes recolhiam eletrodomésticos, joias e objetos de valor da casa, quando receberam um telefonema de alerta dos comparsas e abandonaram a residência às pressas. A Polícia Militar havia sido alertada e encontrou o veículo na Rua Pascoal Vita, próximo da Praça do Pôr do Sol. O Palio seguiu na direção da Praça Pan-americana, onde subiu na calçada e quase atropelou dois PMs que tentaram detê-lo. Na sequência, pegou a Ponte da Cidade Universitária e a Rua Alvarenga, entrando posteriormente no Câmpus Butantã da USP. Na altura da Faculdade de Educação, os ladrões foram cercados e se entregaram.

PRESTE ATENÇÃO

1. Sempre fique atento ao movimento na rua e nas proximidades de sua residência, principalmente quando solicitar alguma entrega de comida. Também solicite sempre a identificação do entregador e procure recebê-lo rapidamente.

2. Caso note alguma pessoa suspeita nas imediações da residência, não deixe de entrar em contato com a polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.