Presa quadrilha que negociava drogas pela internet

Grupo vendia por mês cerca de 20 mil unidades de LSD e ecstasy para a região de Ribeirão Preto

Cláudio Dias, do Estadão,

20 de agosto de 2007 | 15h19

Uma operação coordenada pelo setor de inteligência da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Araraquara prendeu 20 pessoas e desmantelou um esquema da venda de quase 20 mil unidades ao mês de LSD e ecstasy na região de Ribeirão Preto, Araraquara, São Carlos e outras cidades do interior de São Paulo. A investigação iniciada em março, segundo o delegado Marcelo Quevedo, da Dise, só foi divulgada nesta segunda-feira, 20, depois de decretada a prisão temporária dos líderes e intermediários da quadrilha. O esquema aparentemente caseiro em Araraquara intermediado pelo estudante de webdesigner Guilherme Tadeu dos Anjos, o "Cabeça", de 24 anos, foi o fio puxado pelos policiais para se chegar até o distribuidor desta droga, em Ribeirão. Lá, encontraram Dante Augusto da Silva Capranica, o "Boy", 27, por fornecer LSD, Ecstasy e Skank, considerada a supermaconha, ao colega de Araraquara. "São todos de classe média e freqüentadores de festas e de universidades. O Boy, inclusive, andava de Audi", diz o delegado. A investigação chegou ao topo. Por negociar a compra das drogas sintéticas da Europa, foi preso em 2 de agosto, em Foz do Iguaçu, o sérvio Bojan Manasijevic, 28, no Brasil, desde 2005. Os líderes regionais negociavam a venda através do programa de mensagens instantâneas MSN. A rota da droga era o Rio de Janeiro, Ribeirão, Araraquara e a partir daí espalhava pelo interior. Foram apreendidos quase 1.600 LSDs, 730 ecstasys, 17 quilos de Skank, além de cocaína, arma e máquina de falsificar cartão.

Tudo o que sabemos sobre:
Tráfico de drogasdrogas sintéticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.