Presa quadrilha que limpava notas manchadas de rosa em São Paulo

Tinta é usada em sistemas antifurto em caixas eletrônicos de bancos para identificar cédulas roubadas

João Paulo Carvalho, Estadão.com.br

06 de junho de 2011 | 19h44

SÃO PAULO - Foi presa nesta segunda-feira, 6, em São Paulo, uma quadrilha que limpava notas manchadas pelo sistema antifurto dos bancos. O grupo assaltava caixas eletrônicos na capital paulista. A informação foi dada pelo diretor do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), Nelson Silveira Guimarães.

 

Veja também:

linkProcon contesta decisão do BC de não aceitar notas manchadas

 

As notas passavam pelo processo químico dentro de um filtro de porcelana. O Instituto de Criminalista deverá analisar a substância para revelar qual o princípio da mistura. No total, cinco pessoas foram detidas.

 

A nova técnica foi encontrada em uma casa no Jardim Robru, na zona leste de São Paulo, onde dois homens foram presos. Pela manhã, três homens já haviam sido detidos na capital paulista durante a operação Caixa Preta.

 

Os investigadores também aprenderam dois tijolos de maconha e cocaína, carros blindados e duas pistolas banhadas de ouro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.