Presa quadrilha de assaltantes que agia no Maranhão e no Pará

Com bandidos foram apreendidos dois carros, joias, R$ 5 mil em dinheiro, um revólver calibre 38 e dois carregadores de carabina Magal

estadão.com.br,

22 Fevereiro 2011 | 02h05

SÃO PAULO - Uma ação conjunta entre policiais civis dos estados do Pará e Maranhão resultou, na manhã de segunda-feira, 21, na prisão de seis envolvidos em diversos assaltos a bancos no Nordeste, um deles ocorrido no Banco do Brasil e na agência dos Correios da cidade de Baião, no nordeste do Pará.

 

As prisões ocorreram nas cidades de Imperatriz e São Luiz, no Maranhão. Os presos são Francisco dos Santos Silva, líder da quadrilha, conhecido pelos apelidos de "Super 15", "Chiquinho" e "Pitchula"; Jorge Carlos dos Santos, conhecido por "Zoião"; Rayrison Ribeiro da Silva, de apelido "Biroi"; Ruan Murilo Almeida Silva, conhecido por "Mu"; Pablo da Rocha Magalhães e Alexandre Marques da Silva, apelidado de "Kenga". Com eles foram apreendidos dois carros Honda Fit e Gol, joias, R$ 5 mil em dinheiro, um revólver calibre 38 e dois carregadores de carabina Magal. O bando também é acusado de participação em outros crimes na cidade de Formosa da Serra Negra, no Maranhão, a 700 quilômetros de São Luiz.

 

Baião - o assalto ao banco em Baião, localizado na região do Baixo Tocantins, distante cerca de 273 km de Belém, aconteceu no último dia 8. Com fuzis, metralhadoras e outras armas de grosso calibre, os acusados assaltaram as agências do Banco do Brasil e dos Correios, e fugiram levando grande quantia em dinheiro. Na fuga, eles fizeram funcionários reféns e clientes da agência bancária, libertados logo depois.

 

Após o crime, seguiram para o município equipes da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Núcleo de Inteligência Policial (NIP) e Grupo de Pronto-Emprego (GPE), da Polícia Civil, além de policiais da Companhia de Operações Especiais (COE) e Grupamento Aéreo do Estado, além de todo o efetivo das unidades próximas à cidade.

 

Com o início das investigações, a Polícia Civil compartilhou informações com policiais civis do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) do Maranhão, cujos policiais também se deslocaram até a região para participar das investigações, que resultaram na identificação da maioria dos integrantes da quadrilha. As investigações prosseguem tanto no Pará quanto no Maranhão, com o objetivo de identificar e prender os demais envolvidos. Os presos devem ser transferidos para o Estado do Pará até o final desta semana.

Mais conteúdo sobre:
Assanlto, Maranhão, Pará

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.