Presa dupla que roubava passageiro de táxi de Cumbica

Assaltantes foram flagrados por policiais e houve tiroteio; eles abordavam taxistas em Moema, Vila Mariana e Campo Belo

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2013 | 02h08

Após troca de tiros e perseguição da Polícia Civil, dois homens pertencentes a uma quadrilha especializada em roubar táxis vindos do Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, foram presos na noite de anteontem no Campo Belo, zona sul. O bando agia assaltando taxistas que deixavam passageiros na Vila Mariana, em Moema e no Campo Belo, na zona sul.

O grupo é suspeito de ter atacado pelo menos 49 carros desde dezembro. Os bandidos costumavam levar toda a bagagem das vítimas.

Na noite de quarta-feira, eles já haviam assaltado um táxi que deixava uma gerente de 30 anos em sua casa, na Vila Mariana, às 20h50. Dois homens armados chegaram a pé quando o taxista ajudava a passageira a retirar a bagagem do porta-malas. As vítimas não reagiram. Bandidos roubaram bolsa, mochila, documentos, cartões bancários, câmera digital, notebook, celulares e as chaves da residência, entre outros bens.

"Com a ajuda de taxistas roubados, mapeamos os locais onde a quadrilha esperava os carros passarem para assaltar", disse o delegado Ruy Ferraz Fontes, do 27.º Distrito Policial (Campo Belo), responsável pela investigação. Com base no mapeamento, agentes do Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil ficaram esperando os criminosos anteontem em uma viatura descaracterizada. Assim que o Sandero descrito por vítimas de assaltos passou pelo local, os policiais começaram a segui-lo.

O Sandero seguia um táxi que parou na Avenida Jurucê. Os bandidos desceram do veículo para realizar mais um assalto quando receberam voz de prisão. Os ladrões correram em direção a um posto de gasolina e atiraram.

Jeferson Paulo Monteiro, de 28 anos, tentou jogar sua pistola no posto, mas foi preso. Romário Soares Miranda, de 18, foi preso com um revólver. Ninguém foi baleado. O Sandero onde estavam outros integrantes do bando não foi encontrado.

Na casa de Miranda, os policiais acharam malas, três GPSs, celulares, óculos de sol, dois relógios de pulso e US$ 118. Os dois presos responderão por roubo, tentativa de homicídio, formação de quadrilha e resistência à prisão. Segundo a polícia, eles não quiseram se pronunciar sobre as acusações.

Agora, a polícia procura outros dois integrantes do bando que fugiram. Outra linha da investigação é achar os criminosos que revendiam os produtos roubados pela quadrilha.

Procurada para comentar a onda de assaltos, a Guarucoop, cooperativa que presta serviços no Aeroporto de Guarulhos, afirmou que não se manifestaria sobre as ocorrências na capital.

Histórico. Essa não é a primeira quadrilha especializada em atacar taxistas que é presa. Em dezembro de 2011, foi preso um grupo que havia praticado 40 crimes. Na ocasião, foram detidos Carlos Alexandre Amado, o Xandi, de 30 anos, e Adriano Luiz da Silva, o Ceará, de 27, acusados de chefiar um grupo com cinco integrantes. O bando agia da mesma forma que os dois presos anteontem. A polícia inda não tem informação que ligue os bandos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.