Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Preocupação agora é evitar segunda execução na Indonésia, diz governo federal

Assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, afirmou que Brasil fez tudo o que era possível

ISADORA PERÓN , O Estado de S. Paulo

19 Janeiro 2015 | 21h00

BRASÍLIA - O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, disse nesta segunda-feira, 19, que o governo fez tudo para que o brasileiro Marco Archer não fosse executado na Indonésia e, agora, a preocupação será evitar que o mesmo aconteça com o paranaense Rodrigo Muxfeldt Gularte, que também está preso no país por tráfico de drogas.

“Fizemos tudo o que estava ao nosso alcance”, afirmou Garcia. “A preocupação do governo brasileiro, já que não conseguimos ser exitosos na questão do primeiro executado, é que tenhamos pelo menos a possibilidade de resolver esse caso”, afirmou.

Questionado se uma nova execução abalaria ainda mais a relação com a Indonésia, Marco Aurélio disse que qualquer comentário seu poderia ser interpretado como uma “ameaça” ao país asiático. “Não quero dar a minha resposta nenhum caráter de ameaça. A preocupação fundamental é salvar uma vida.”

Garcia também disse que o governo espera pela chegada do embaixador do Brasil na Indonésia, Paulo Alberto da Silveira Soares, para conversar sobre a situação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.