Prefeitura veta helipontos perto de hospital e escola

Pela primeira vez, administração municipal coloca em prática lei de 2009 que proíbe locais de pouso e decolagem de aeronaves nessas áreas

DIEGO ZANCHETTA, RODRIGO BRANCATELLI, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2011 | 03h04

A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente indeferiu o pedido de alvará de funcionamento de quatro helipontos localizados perto de escolas ou de hospitais. Outros quatro foram liberados. É a primeira vez que a Prefeitura regulariza helipontos da cidade com base em uma legislação municipal aprovada pela Câmara em outubro de 2009.

O heliponto da torre norte do Condomínio Cetenco Plaza, na Avenida Paulista, não pode funcionar por estar a menos de 300 metros do Hospital 9 de Julho e da Maternidade São Paulo. O heliponto pode ser interditado pela Agência Nacional de Aviação (Anac), que será informada sobre a decisão nos próximos dias.

Outros dois helipontos com pedido de alvará negado são vizinhos na região do Itaim-Bibi, na zona sul. Perto de três escolas (Escola Estadual Aristides de Castro, EE Ministro Costa Manso e Colégio Domus Sapientiae), o heliponto da Brazil Realty S.A., na Avenida Juscelino Kubitschek, não teve o relatório de impacto de vizinhança aprovado. O heliponto do Edifício Corporate Park também está a menos de 300 metros do Domus Sapientiae. Os três condomínios vão recorrer da decisão.

Na Rua Engenheiro Antonio Jovino, no Morumbi, o heliponto do Tivoli Center não pode funcionar por estar a menos de 200 metros da Habitat Pré Escola Infantil, localizada na Rua Dr. Fonseca Brasil. A Prefeitura diz ainda que o heliponto recebeu aeronaves com mais de três toneladas, o que é proibido. A reportagem tentou contato com os responsáveis pelo condomínio, que não responderam às ligações até as 20h30.

Liberação. Nos quatro helipontos liberados, a Prefeitura vetou o funcionamento após as 22 horas. O heliponto do Shopping Iguatemi ganhou licença para operar a partir das 7h. No Hospital Santa Marcelina, o heliponto foi aprovado mesmo estando a menos de 300 metros de uma creche. Isso porque a lei de 2009 abre exceções para unidades médicas.

Já o heliponto do Condomínio HSBC Tower, na Avenida Faria Lima, teve autorização para operar com no máximo três pousos e decolagens por dia, assim como o terminal do Condomínio Jatobá, no Brooklin.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.