José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Prefeitura vai demitir suspeitos corrupção

Determinação de Fernando Haddad (PT) ocorre após o Estado revelar que dois fiscais da ISS ainda recebem salários públicos

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

04 Fevereiro 2015 | 02h02

SÃO PAULO - A Prefeitura deve começar a demitir os servidores suspeitos de enriquecimento ilícito descobertos a partir do cruzamento de dados de renda e patrimônio pessoal acumulado na vida pública. Serão ao menos 40 demissões nos próximos dias.

A mudança é uma determinação do prefeito Fernando Haddad (PT) e ocorre depois de o Estado revelar que dois fiscais da Máfia do Imposto sobre Serviços (ISS), Amílcar José Cançado Lemos e Fábio Camargo Remesso, ainda recebem salários públicos, mais de um ano depois da descoberta do esquema.

Até agora, a Controladoria-Geral do Município (CGM) fazia um processo interno que era encaminhado à secretaria onde o servidor suspeito estava lotado. A pasta então se encarregava de demitir o servidor, mediante envio do caso para a Secretaria Municipal de Negócios Jurídicos. Com a mudança, a CGM já recomendará a demissão à Negócios Jurídicos.

O novo trâmite, já chamado de "via rápida" ou "faixa exclusiva", deverá resultar em aumento dos processos judiciais contra a Prefeitura.

Mais conteúdo sobre:
São PauloPrefeitura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.