Prefeitura vai criar bolsões para fretados

Ônibus fretados para levar turistas a museus e pontos de interesse da cidade, como o Memorial da América Latina, o Aeroporto de Congonhas e o Parque do Ibirapuera, terão de pagar Zona Azul para estacionar na rua a partir do dia 30.

O Estado de S.Paulo

25 Julho 2012 | 03h08

A Prefeitura publicou ontem portaria estabelecendo as regras da nova cobrança e determinando quais serão os bolsões de estacionamento.

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, por causa das regras de restrição aos fretados existentes desde 2010, o estacionamento desses ônibus era proibido nesses locais. Agora, foram criados sete bolsões com parada permitida, com 50 vagas ao todo. Mas, para permanecer ali por até 2h, será preciso comprar talões da Zona Azul, cujo preço oficial é R$ 1,80 por hora.

Esses fretados também precisarão respeitar as regras do Departamento de Transportes Públicos (DTP): fazer um cadastramento prévio e estabelecer as ruas por onde circularão até o destino escolhido. O serviço só pode ser oferecido por ônibus e micro-ônibus (vans estão excluídas). O estacionamento dos ônibus fora dos bolsões será proibido e pode render multa.

Locais. Os bolsões são na Praça da Luz (para o Museu da Língua Portuguesa, Pinacoteca e Museu da Luz), na Rua Mato Grosso, para o Cemitério da Consolação, na Rua Desembargador Paulo Passalacqua (para o Museu do Futebol), na Avenida Nazaré, entre a Rua Padre Marchetti e o Corpo de Bombeiros (para o Museu do Ipiranga), na Avenida Ibirapuera, entre a Rua Tangará e Rua França Pinto (para o Parque do Ibirapuera) e na pista local da Avenida Washington Luiz (para o Aeroporto de Congonhas).

Segundo a Prefeitura, os horários de funcionamento da Zona Azul serão determinados por placas em cada uma das vias. / B.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.