Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Prefeitura suspende plano que retira cobrador de ônibus; sindicato recua de greve em SP

Secretaria de Transportes da capital diz que mudança em veículos será debatida por comissão com SPTrans e sindicatos

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2019 | 18h14

SÃO PAULO – Motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo recuaram da greve prevista para esta quarta-feira, 31 de julho. O movimento ocorre após a Prefeitura anunciar que decidiu suspender a implantação de ônibus sem cobradores na capital. 

“Nós suspendemos o movimento de amanhã (quarta) porque o secretário de Transportes assinou ofício dando garantia de emprego a todos os cobradores e cobradoras da cidade de São Paulo”, disse o presidente em exercício do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano (Sindmotoristas), Valmir Santana da Paz, em assembleia da categoria na tarde desta terça, 30. A reunião foi transmitida pela página do sindicato nas redes sociais.

Com a decisão da Prefeitura, os novos modelos de ônibus da capital não devem mais suprimir os espaços para cobradores. A mudança constava em uma circular enviada no mês passado pela SPTrans às empresas do sistema de transporte coletivo.

Em nota, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes disse que “o assunto será debatido pela comissão criada para desenvolver um projeto de requalificação dos cobradores de ônibus”. O grupo é composto pela secretaria, pela SPTrans, pelo Sindmotoristas e pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SPUrbanuss).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.