Prefeitura quer tirar camelôs ilegais da região da 25 de Março

Operação vai durar três dias e conta com a ajuda de policiais civis, militares e guardas metropolitanos

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

09 de outubro de 2007 | 08h44

A situação era tranqüila na manhã desta terça-feira, 9, na região da Rua 25 de Março, onde a Prefeitura dá início a uma operação contra o comércio ilegal. Em parceria com a Polícia Civil, Militar e a Guarda Metropolitana, a operação comandada pela Subprefeitura da Sé visa impedir a presença de camelôs ilegais e a venda de produtos pirata na região; a operação deve durar até quinta-feira, 11. Cerca de 30 policiais civis, 95 policiais militares e 70 guardas civis metropolitanos tentam impedir que vendedores irregulares armem suas barracas nas calçadas da região. Segundo informações da Subprefeitura da Sé, alguns camelôs irregulares permaneciam no local, mas com suas mercadorias guardadas. Outros já estavam indo embora, após o término da "feirinha da madrugada", que ocorre nas ruas próximas à 25 de Março. De acordo com o comandante da operação da Polícia Militar, algumas mercadorias já haviam sido apreendidas pelos guardas civis, antes do início da operação. O ambulante ilegal que não atender à determinação da GCM de sair da rua terá sua mercadoria apreendida, será detido e encaminhado para o Distrito Policial, onde será lavrado um Termo Circunstanciado por desobediência à ordem da autoridade competente.

Tudo o que sabemos sobre:
Rua 25 de Marçocamelôs em SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.