Prefeitura quer desapropriar R$ 300 milhões em terrenos para construir moradias populares

Haddad afirmou que valor equivale a 30 mil lotes, que seriam usados para cumprir a meta de construir 55 mil moradias populares até o fim de seu mandato

Artur Rodrigues, O Estado de S. Paulo

22 Abril 2013 | 14h22

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) afirmou que a Prefeitura deve desapropriar R$ 300 milhões em terrenos este ano para cumprir a meta de construir 55 mil moradias populares até o fim do mandato.

O anúncio foi feito em visita à ocupação Pinheirinho 2, na zona leste.Ele afirma que 30 mil lotes serão desapropriados. "Ao contrário de outras cidades, São Paulo não tem terrenos públicos disponíveis. Então, o caminho são as desapropriações", disse Haddad. Segundo ele, é necessário fazer as desapropriações ainda este ano, no máximo no próximo, para que as unidades fiquem prontas até 2016.

O prefeito afirma que o plano conta com aval do governo federal. "Estive em Brasília com a presidenta Dilma e ela deu aval pessoal para a construção de 55 mil moradias. E inclusive orientou o ministro das Cidades de que não faltará recursos", disse. Ele afirma que 512 famílias do loteamento Pinheirinho 2 já foram cadastradas em programa habitacional.

No dia 26 de março, a Polícia Militar chegou a iniciar cumprimento de reintegração de posse, que acabou interrompida após a Prefeitura informar a Justiça que desapropriaria a área. "Veja você que 30% são crianças até 12 anos, uma população extremamente vulnerável", disse Haddad.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.