Prefeitura promete acabar com todos alojamentos até 2012

A meta da Prefeitura é acabar com os cinco alojamentos provisórios até 2012. Desde 2005, foram desativados 15, alguns que já tinham 20 anos de história. No total, 1.544 famílias foram atendidas, segundo a Prefeitura.

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2010 | 00h00

O governo municipal não construiu nenhum alojamento para desabrigados de tragédias ou atingidos em remoções para obras desde 2005. Como opção, tem preferido o aluguel social - cerca de 12 mil famílias já são atendidas.

Na favela do Parque Real, as 320 famílias afetadas pelo incêndio da semana passada vão receber o programa a partir de hoje - até a conclusão do conjunto que ocupará o terreno, Segundo a Secretaria Municipal de Habitação, 1.135 unidades habitacionais serão construídas.

Na segunda-feira, uma manifestação fechou uma pista da Marginal do Pinheiros. Moradores que estariam descontentes com a proposta da Prefeitura de aluguel de R$ 400 para quatro meses e garantia de moradia definitiva teriam promovido o protesto. Alguns comentaram ontem que a manifestação fora arquitetada por traficantes que não querem o fim do aglomerado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.