Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

Prefeitura pede que Justiça reconsidere remoção de moradores do Cingapura

Administração municipal diz que medidas foram atendidas; juiz marcou audiência de esclarecimento

Priscila Trindade, estadão.com.br

10 de outubro de 2011 | 19h32

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo entrou com um pedido na tarde desta segunda-feira, 10, para que a Justiça reconsidere a medida de retirada dos moradores do Cingapura Zaki Narchi, na zona norte, segundo a assessoria do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Na última sexta-feira, 7, o juiz Valentino Aparecido de Andrade, da 10ª Vara da fazenda Pública, a interdição do conjunto habitacional. De acordo com o magistrado, "trata-se, sem dúvida, de uma medida extrema essa de interdição e remoção dos moradores, mas ela é a única que pode eficazmente controlar a situação de risco a que essas pessoas estão submetidas, exigindo-se a intervenção do Poder Judiciário".

Segundo a prefeitura, o pedido de reconsideração foi feito "tendo em vista as medidas realizadas para minimizar os efeitos do gás no local". Em resposta, o juiz marcou uma audiência nesta terça-feira, 11, às 14h30, com técnicos da Cetesb, representantes do Ministério Público e da Prefeitura.

Cerca de 70 moradores do Cingapura viraram duas caçambas de lixo na avenida Zaki Narchi, interditaram parte da via e fazem uma manifestação contra a decisão da Justiça divulgada nesta segunda, dia 10, que manda a Prefeitura removê-los do local devido ao risco de explosão. Atualmente, 2.787 pessoas moram no Cingapura Zaki Narchi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.