Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

Prefeitura pede que Justiça reconsidere remoção de moradores do Cingapura

Administração municipal diz que medidas foram atendidas; juiz marcou audiência de esclarecimento

Priscila Trindade, estadão.com.br

10 Outubro 2011 | 19h32

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo entrou com um pedido na tarde desta segunda-feira, 10, para que a Justiça reconsidere a medida de retirada dos moradores do Cingapura Zaki Narchi, na zona norte, segundo a assessoria do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Na última sexta-feira, 7, o juiz Valentino Aparecido de Andrade, da 10ª Vara da fazenda Pública, a interdição do conjunto habitacional. De acordo com o magistrado, "trata-se, sem dúvida, de uma medida extrema essa de interdição e remoção dos moradores, mas ela é a única que pode eficazmente controlar a situação de risco a que essas pessoas estão submetidas, exigindo-se a intervenção do Poder Judiciário".

Segundo a prefeitura, o pedido de reconsideração foi feito "tendo em vista as medidas realizadas para minimizar os efeitos do gás no local". Em resposta, o juiz marcou uma audiência nesta terça-feira, 11, às 14h30, com técnicos da Cetesb, representantes do Ministério Público e da Prefeitura.

Cerca de 70 moradores do Cingapura viraram duas caçambas de lixo na avenida Zaki Narchi, interditaram parte da via e fazem uma manifestação contra a decisão da Justiça divulgada nesta segunda, dia 10, que manda a Prefeitura removê-los do local devido ao risco de explosão. Atualmente, 2.787 pessoas moram no Cingapura Zaki Narchi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.