Prefeitura interdita prédio que desabou em São Bernardo do Campo

Edifício interditado ontem ficará inacessível por tempo indeterminado para realização de perícia

Priscila Trindade, do estadão.com.br,

09 de fevereiro de 2012 | 14h27

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, interditou na noite desta quarta-feira, 8, o Edifício Senador, que desabou parcialmente na última segunda-feira, 6. Júlia Moraes, de 3 anos, e a enfermeira Patrícia Alves Farias de Lima, de 26, morreram no acidente. Outras seis pessoas ficaram feridas.

O prédio, interditado às 17h30 de ontem, ficará inacessível por tempo indeterminado para realização de perícia. O imóvel foi cercado por tapumes. O edifício com cerca de 40 anos tem consultórios médicos, escritórios e uma lanchonete no térreo, num total de 74 salas.

Desabamento. A polícia investiga se laje que passou por obras contra infiltrações pode ter sido a causa do acidente. Pedaços da laje do Edifício Senador serão enviados para análise no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). O síndico do prédio negou ontem que a causa do desabamento esteja relacionada ao reparo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.