BETO BARATA/AE
BETO BARATA/AE

Prefeitura interdita boate Romanza em caráter definitivo

Autoridades afirmam que o local servia de prostíbulo e desobedecia a lei de zoneamento residencial

Maíra Teixeira, da Central de Notícias,

16 de outubro de 2009 | 22h31

A boate Romanza Club, no Jardim Europa, zona sul da capital, foi interditada às 21h desta sexta-feira, 16, em uma ação coordenada entre a Secretaria de Controle Urbano, a Polícia Militar, a Polícia Civil Fazendária, a Subprefeitura de Pinheiros, o Contru e a Guarda Civil Metropolitana (GCM). Segundo o secretário Orlando Almeida, o fechamento da casa é irrevogável e não cabe mais recurso.

 

Veja também:

link Prefeitura empareda boate Romanza, no Jardim Europa

mais imagens Foto: Prefeitura fecha novamente o Romanza

 

Ele informou que o local funcionava como casa de encontros e prostituição e desobedecia a lei de zoneamento da área residencial. Essa é a quarta vez que a prefeitura interdita a Romanza, que fica na Avenida 9 de Julho, 5.660.

 

"Na última vez que o imóvel foi emparedado pela Justiça, a proprietária, tirou o bloqueio, reiniciou a atividade, alegando que lá funcionava um galeria de arte, o que nunca foi verdade. Nas vistorias realizadas pela Prefeitura constatou-se que a casa promovia encontros de 'moças da vida' com homens, para o fim de prostituição", ressaltou Almeida. No momento da interdição haviam poucos funcionários no local. Não houve tumulto.

 

Uma viatura da GCM permanence na boate até sábado, 17, quando será feito o emparedamento definitivo. A polícia fazendária foi acionada por haver crime de sonegação tributária. Em 15 de janeiro, a Prefeitura interditou o local e então a proprietária, Vailde Rocha Veloso, entrou com um mandato de segurança para continuar com a atividade de galeria de arte.

 

Nesse ínterim, a Justiça determinou que a Prefeitura fiscalizasse e deferisse ou indeferisse a atividade da Romanza. Nesta sexta-feira, 16, a Prefeitura indeferiu a atividade em última instância e ordenou o fechamento definitivo da empresa por não realizar a atividade fim e por desobedecer a lei de zoneamento da região. A proprietária responderá pelo crime de desobediência de interdição de imóvel pelo órgão público municipal.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.