Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Prefeitura instala piso irregular em canteiro que abrigava mendigos

Em nota, subprefeito de Santana/Tucuruvi, disse que colocação de paralelepípedos, na Avenida Cruzeiro do Sul, visa impedir travessia de pedestres fora da faixa

Edison Veiga, O Estado de S. Paulo

20 Fevereiro 2014 | 13h24

SÃO PAULO - Quarenta e cinco canteiros de paralelepípedos foram instalados pela Prefeitura entre as pilastras do viaduto da Linha Azul do Metrô na Avenida Cruzeiro do Sul, em Santana, zona norte de São Paulo. O ponto era conhecido por reunir moradores de rua, que costumavam se amontoar ali para dormir - situação que fez com que os obstáculos acabassem chamados popularmente de "canteiros antimendigo".

A informação foi publicada pelo jornal Folha de S. Paulo desta quinta, 20. Procurada pelo Estado, a administração municipal negou que a "revitalização da Avenida Cruzeiro do Sul" tenha a preocupação de espantar moradores de rua.

Em nota, o subprefeito de Santana/Tucuruvi, Carlos Roberto Candella, disse que a colocação das pedras é o primeiro passo para o fechamento, com uma cancela, no trecho em frente à Estação Carandiru. Ele lembra que a "transposição da avenida deve ser feita pela faixa de pedestres e não pelo trecho em frente à estação, que fica em uma área movimentada de veículos".

Nos demais trechos, gramados, onde também foram instalados os paralelepípedos, a explicação é outra. De acordo com Candella, "uma pequena barreira de paralelepípedo foi colocada junto aos pilares apenas para proteger os grafites (nas pilastras), que são realizadas pelos artistas do Museu Aberto de Arte Urbana"

A obra completa na avenida Cruzeiro do Sul, que foi orçada em R$ 1.025 milhão, tem previsão de término para o mês de março.

Moradores de rua. De acordo com a Prefeitura, a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social "atua diariamente na região da Avenida Cruzeiro do Sul". Cerca de 450 moradores em situação de rua foram abordados pelas equipes da secretaria, os quais 429 aceitaram o encaminhamento para os serviços da rede.

A fotografia do Estado percorreu o trecho na manhã desta quinta, 20, e flagrou sem-teto utilizando os paralelepípedos como apoio para utensílios de cozinha e anteparo para fogo na preparação do almoço.

Mais conteúdo sobre:
mendigoscanteiroprefeitura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.